Header Ads

[Crítica de Cinema] A CENTOPEIA HUMANA 3 (2015)

por Pedro Diniz

[Crítica de Cinema] A CENTOPEIA HUMANA 3 (2015)

Vou te contar que levou algum tempo até sair essa primeira crítica para o Garrancho. Tinha que ser na medida certa. Mas aí dei play no “A Centopeia Humana 3” e tudo mudou. Como tentar falar sobre essa experiência pra lá de alucicrazy?

Pra quem não conhece a proposta, aí vai um breve resumo: no primeiro, duas americanas viajando pela Europa procuram por ajuda após o carro quebrar. Só não contavam que seriam drogadas e trancadas por um médico alemão que pretende juntá-las a outra pessoa, criando assim a primeira centopeia humana do mundo (pausa para o saco de vômito). Na sequência, um segurança de estacionamentos, daqueles de se passar longe, aluga o primeiro filme e resolve se inspirar na proposta, criando uma centopeia maior.

Tom Six, diretor da trilogia, resolve abraçar a metalinguagem e escancara cada cena com requintes de humor negro e muito sangue. Neste filme dentro de um filme, o sistema carcerário americano está simplesmente lotado. Lembra do médico louco e do segurança de estacionamento? Pois bem, se tornaram, respectivamente, o diretor do presídio e seu assistente. Até o próprio diretor da série aparece (como ele mesmo) para comprovar que os filmes são 100% medicamente corretos (isso mesmo, o lance de ligar a boca ao ânus é verdadeiro… tá BOUA que quero testar isso néam?!).

E é exatamente daí que surge a premissa: para resolver o problema de custos e excesso de presos, o assistente tem a brilhante ideia de implementar a centopeia humana – o filme e sua sequência – na rede carcerária. Ou seja, uma centopeia composta por 500 pessoas. Pera!!! whaaaaaat??!! (segunda pausa para o saco de vômito).

São muitos os momentos que carregam aquela sensação de ”what the fuck estou assistindo.” Desde os hábitos mais estranhos do diretor (seus almoços compostos por clitóris e bolas, EXATO, escrotais são impagáveis!!!), até as atuações absurdamente caricatas.

“A Centopeia Humana 3” não é nenhum clássico, longe disso, mas cumpre o que promete: te joga na parede, bate na sua cara e ainda te estapeia com um mundo fantasticamente absurdo. Vai encarar?


Ficha Técnica

Gênero: Terror
Direção: Tom Six
Roteiro: Tom Six
Elenco: Bree Olson, Clayton Rohner, Dieter Laser, Eric Roberts, Laurence R. Harvey
Produção: Ilona Six, Tom Six
Fotografia: David Meadows
Trilha Sonora: Misha Segal
Duração: 100 min.
Ano: 2015

Gostou da crítica? Então curta e compartilhe. Siga a Fan Page – GJB.
Tecnologia do Blogger.